Print
Category: Destaques
Hits: 256

A Associação Italiana Amigos de Raoul Follereau, com o financiamento da Agência Italiana de Cooperação, no âmbito do Projecto PIN, realizou entre os dias 11 e 13 de Novembro, um hackathon para produção de aplicativos habilitantes que possam contribuir para o alcance, através do uso das TICs, dos objectivos do projecto PIN, que são: formação profissional e emprego para pessoas com deficiências. 

Hackathon é uma maratona de programação, ou seja, um encontro de programadores de aplicativos móveis e web, que pode durar dias e que visa encontrar soluções tecnológicas específicas para um desafio colocado. 

Participantes durante o Hackathon

Foram colocados dois desafios para este Hackathon:

Desafio Nº 1: Criar um Aplicativo que Facilite que Pessoas com Deficiências tenham acesso aos cursos de Formação dos 3 Centros do IFPELAC, onde o Projecto PIN está a ser implementado: Cidades de Maputo, Beira e Pemba.

Desafio Nº 2: Criar um website ou Aplicativo (ou ambos) que seja uma ponte entre empregadores e Pessoas com Deficiências, o aplicativo deve também facilitar o auto-emprego e geração de rendas, tendo em conta os diferentes tipos de deficiências.

Este Hackathon foi realizado no Espaço Inovação da UEM, uma iniciativa da Innovation Camp (iCamp) e a Universidade Eduardo Mondlane (UEM), que pretende contribuir para dinamização da inovação e do empreendedorismo a diversos níveis e áreas do saber, tendo como um dos suportes as Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs).

O Hackathon, teve como mentor, Dr. G. Anthony Giannoumis, americano, Professor universitário na Universidade de Oslo, ele é um pesquisador de acção que foca-se na prática e teoria de tecnologias. Ele é um es-pecialista internacionalmente reconhecido nas áreas de Desenho Universal e TICs. Participou de Projectos de pesquisa e inovação em mais de 17 países, incluindo Moçambique. Já foi mentor de mais de 18 startups, metade das quais dirigidas por mulheres.

O Hackathon contou ainda com a participa-ção de outros mentores internacionais, vindos da Noruega, nomeadamente, Dan Gilbert, especialista em Design Thinking, Yvan Bayisabe, especialista legal e Cathrine Bui, especialista em genéro.

Participaram 8 equipas de desenvolvedores, constituídas por desenvolvedores backend, frontend e full stack. Sagraram-se campeõ-es as equipas E-team e Callback Cats, que vão agora iniciar um processo de finalização do design e implementação dos aplicativos vencedores durante 3 meses no Espaço de Inovação da UEM. Após a apresentação do aplicativo final, cada um dos grupos apura-dos receberá o valor monetário de cem mil meticais.