Print
Category: Destaques
Hits: 273

As doenças não transmissíveis (DNTs) em Moçambique, constituem um problema grave de saúde pública. Sendo responsáveis por cerca de 27% de todas mortes e por volta de  60% de todas as causas de incapacidade que ocorrem no país e um pouco por todos os países em vias de desenvolvimento.

Devido ao crescimento das DNTs no país, o consórcio CUAMM, Sant´Egídio e AIFO com apoio da Agência Italiana  de Cooperação e Desenvolvimento, em parceria com MISAU, estão a desenvolver um projecto com vista a aumentar a capacidade de resposta com relação a pacientes com Hipertensão, Diabetes e Cancro de colo de útero, prevenção e controle destas patologias, através da sensibilização e educação das comunidades, para maior difusão e consciensalização sobre estas doenças e os respectivos factores de risco.

Neste âmbito, a AIFO junto do MISAU está promover capacitação aos agentes comunitários de  saúde, nomeadamante, agentes polivalentes elementares (APEs), activistas comunitários (ACS),  técnicos de medicina preventiva(TMP) entre outros. Trata-se de uma capacitação com vista a doptar  os APEs, ACS, PT, TMP de  conhecimentos sobre DNTs e de capacidades  de resposta com vista a prevenção e controle de doenças não transmissíveis na província de Maputo, Zambézia e Sofala.

A primeira capacitação decorreu na Matola esta semana, a segunda em Moamba sede, nesta semana irá decorrer na cidade da Beira.  No final 2 meses são formados APEs/TMPs/PT em Maputo, Sofala e Zambézia, onde o o projecto está sendo implementado.

Refira-se que  principal papel da AIFO no ambito do projecto Prevenção e controlo das doenças não transmissíveis (DNTs) em Moçambique é a prevenção e controle de DNTs através da educação e promoção de saúde a nível das comunidades, com o principal foco nos factores de risco para o cancro de colo de útero, diabetes e hipertensão arterial. Uma intervençao focada a criar maior consciencialização nas comunidades locais, população urbanas e rurais.