Formação em Pesquisa Emancipatória Maputo

 

Pesquisa Emancipatória – Projecto PIN

A Pesquisa Emancipatória é um tipo de pesquisa utilizada para colectar informações (produzir conhecimentos) em certos grupos da população que recebem menos atenção (no caso do Projecto PIN, pessoas com deficiência).

Entre os dias 2 de Abril de 2019 e 5 de Abril de 2019, a equipe do projeto de Maputo, coordenada pela Ong AIFO recebeu os facilitadores da ARCO – Universidade de Florença: Federico Ciani e Carmela Nitti. A ARCO é um Centro Universitário que oferece serviços de pesquisa, consultoria e treinamento. Fundada em 2008 junto ao PIN S.c.r.l. (Campus Universitário “Città di Prato”), hoje a ARCO conta com uma vasta gama de profissionais e um Comitê Científico de alto nível. A instituição possui ainda um forte vínculo com o Departamento de Ciências Econômicas e Empresariais e com o Departamento de Estatística, Ciência da Computação, e Aplicações "Giuseppe Parenti" da Universidade de Florença. 

A actividade que eles vieram realizar em Maputo foi: Formação sobre Pesquisa Emancipatória

 

Tema da Pesquisa

No caso da nossa pesquisa, as perguntas de pesquisa já foram identificadas pelas Organizaçãoes de Pessoas com Deficiência (OPD) do FAMOD, dos funcionarios do IFPELAC, do INE e do Ministério de Género, Criança e Acção Social durante uma formação que ocorreu em Maputo nos dias 12, 13, 14 e 21 de Junho de 2018. 

O grupo de trabalho identificou as seguintes perguntas de pesquisa: 

A formação profissional é acessível para as pessoas com deficiência física e sensorial?

As pessoas com deficiência que participaram em cursos de formação profissional, tem facilidade de encontrar trabalho?  

Quais são os fatores que impedem ou que favorecem a inclusão das pessoas com deficiência no emprego e no auto-emprego?

 

As actividades consistiram em:

Dia 1: Apresentação e revisão dos principais artigos do UNCRPD (Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência), introdução ao tema da Pesquisa Emancipatória e exercícios sobre abordagens a deficiência. 

 

Os Pesquisadores Carmela e Federico fazendo a formação de Pesquisa Emancipatória a 20 Pessoas com Deficiência em Maputo
Os Pesquisadores Carmela e Federico fazendo a formação de Pesquisa Emancipatória a 20 Pessoas com Deficiência em Maputo (tendo sido formados igualmente 20 na Cidade da Beira no Centro do país e 20 na Cidade de Pemba no norte)

 

Primeiro Dia de Actividades de Pesquisa Emancipatória
Primeiro Dia de Actividades de Pesquisa Emancipatória

Dia 2: Lições teóricas e práticas sobre como se administra um questionário e exercícios sobre questionários aos empreendedores.

Segundo Dia das Actividades, foco no questionário para as empresas
Segundo Dia das Actividades, foco no questionário para as empresas
Uma das Tutoras instruindo os jovens formandos em Pesquisa Emancipatória
Uma das Tutoras instruindo os jovens formandos em Pesquisa Emancipatória

 

Dia 3: Lições teóricas e práticas sobre como facilitar um grupo focal e exercícios sobre a facilitação de grupos focais e de alimentação de dados no Excel. 

Exercício prático de facilitação de um grupo focal
Exercício prático de facilitação de um grupo focal

 

Exercício prático sobre alimentação de dados
Exercício prático sobre alimentação de dados que serão colectados na pesquisa

Dia 4: Questionário a Directora do Centro e Revisão dos trabalhos feitos nos últimos dias e análise e correção dos questfionários bem como apresentação de dúvidas e sugestões por parte dos participantes.

Exercício de questionário aos Centros de Formação Profissional do IFPELAC, tendo a Dra. Glória Banze do IFPELAC feito o papel de directora do Centro
Exercício de questionário aos Centros de Formação Profissional do IFPELAC, tendo a Dra. Glória Banze do IFPELAC feito o papel de directora do Centro

 

Foto de familia dos participantes da Pesquisa Emancipatória
Foto de familia dos participantes da Pesquisa Emancipatória

Objectivos da Pesquisa

A pesquisa visa: 

  • Suprir a falta de dados relativas ao acesso à formação profissional e ao mercado de trabalho por parte das PcD; 
  • Fortalecer a consciência dos participantes sobre a própria condição, os próprios direitos e as barreiras que dificultam a plena participação na sociedade onde vivem;
  • Aumentar as competências sobre as metodologias de pesquisa e a capacidade de análise por parte dos participantes na atividade;
  • Identificar os tipos de tecnologia TIC que poderiam tornar mais acessíveis os cursos de formação profissional para as pessoas com deficiência;
  • Melhorar os percursos de formação profissional e torná-los mais acessíveis e eficazes para as pessoas com deficiência.

 

 

Auditoria de Acessibilidade Maputo

PROJETO PIN – Percursos participativos para a Inclusão económica dos jovens com deficiência em Moçambique

 

Auditoria de Acessibilidade

A Auditoria de Acessibilidade é uma actividade de avaliação que fizemos em 3 Centros de Formação Profissional (CFP) do IFPELAC (CFP de Malhazine em Maputo, CFP de Beira e de Pemba) para verificar se os edifícios e os cursos são acessíveis às Pessoas com Deficiência.

Com base nos resultados da avaliação iremos implementar as transformações necessárias seja do ponto de vista infraestrutural, seja na metodologia e ferramentas de ensino para que os cursos sejam acessíveis a este segmento da população moçambicana.

Entre os dias 5 de Março de 2019 e8 de Março de 2019, a equipe de projeto de Maputo, coordenada pela Ong AIFO recebeu o Stélio Ramos, Oficial de Inclusão da ong parceira Light for the World de Beira, para realizar a primeira atividade do projeto: o Treinamento sobre Inclusão das pessoas com deficiência para a equipe do projecto PIN, os funcionarios e formadores do centro de formação profissional do IFPELAC de Malhazine.

As actividades consistiram em:

Dia 1– Formação dos Formadores do Centro de Formação Profissional de Malhazine sobre Inclusão das pessoas com deficiência. Participaram todos os formadores do Centro de Formação e a equipe do projeto.

Primeiro dia de Auditoria de Acessibilidade
Primeiro dia Dedicado a Formação 


 

 

Dia 2: Auditoria de acessibilidade do Estabelecimento do Centro de Formação Profissional de Malhazine (entrada, salas, rampas, casas de banho, secretaria). Participaram a Direcção do Centro de Malhazine, alguns membros do FAMOD que representavam os diferentes tipos de Deficiência e a equipe do projeto.

Preparação para a Realização da Auditoria de Acessibilidade do CFP de Malhazine
Preparação para a Realização da Auditoria de Acessibilidade do CFP de Malhazine

Início da Auditoria de Acessibilidade, começando pela Entrada do Edifício
Início da Auditoria de Acessibilidade, começando pela Entrada do Edifício

Dia 3: Realização do Disability Inclusion Score Card (DISC), através de uma entrevista a Direcção do Centro para ver que classificação o Centro atinge neste periodo inicial do projeto, em termos de inclusão e acessibilidade para as pessoas com deficiência. Participaram a Direcção do Centro de Malhazine, alguns membros do FAMOD que representavam os diferentes tipos de Deficiência e a equipe do projeto.


Realização do DISC
Realização do DISC


 

Dia 4: Balanço e partilha de ferramentas de monitoramento dos beneficiários com os diferentes parceiros do projecto nomeadamente a INE (Instituto Nacional de Estatística), o IFPELAC sede e o IFPELAC Delegação da Cidade de Maputo, e o INEP (Instituo Nacional de Emprego). Participaram as instituições acima mencionadas, por meio dos proprios pontos focais para Área da Deficiência e a equipe do projeto.

Balanço e Partilha de Ferramentas da Auditoria de Acessibilidade no CFP de Malhazine do IFPELAC
Balanço e Partilha de Ferramentas da Auditoria de Acessibilidade no CFP de Malhazine do IFPELAC


AICS projecto de deficiência Moçambique

A AICS financia projecto de Deficiência em Moçambique avaliado em 890.000,00 €

No âmbito da iniciativa: “Deficiência: Educação, Emprego e Tecnologias de Informação e Comunicação”de promoção da Inclusão socio-económica das pessoas com deficiência promovido e financiado pela AICS, foi lançado um concurso público e contratado um consórcio para a implementação do projecto tendo em vista induzir uma transformação dos acessos, edifícios, equipamentos e material didáctico dos Centros de Formação Profissional do IFPEPAC para permitir maior acessibilidade, bem como desenvolver outras actividades em estreita colaboração com as Organizações de Pessoas com Deficiência e o FAMOD (Fórum das Associações de Pessoas com Deficiência de Moçambique) em particular, com vista a formação profissional e acesso ao emprego das pessoas com deficiência.

O Projecto ganhou a designação de Projecto PIN: Percursos Participativos para a Inclusão das Pessoas com Deficiência de Moçambique, e conta com um financiamento de 890.000,00 Euros. O projeto irá contribuir a preencher a lacuna existente entre a ractificação das declarações da Convenção dos Direitos das Pessoas com Deficiência das Nações Unidas e a aplicação das mesmas em Moçambique, promovendo processos de inclusão social e económica das pessoas com deficiência, em particular no que diz respeito à formação profissional e ao acesso ao emprego.

A Cooperação italiana apoia os esforços do MITESS do Governo de Moçambique para garantir o acesso universal à formação profissional e ao trabalho e é com esse intuito que financia este projecto piloto de inclusão das pessoas com deficiência, AID 11460.

 

O consórcio é constituído por 3 ONGs, nomeadamente:

Logo AIFO Associação Italiana Amici di Raoul Follereau, Líder do consórcio e implementadora do Projecto em Maputo.
Associação Terre des Hommes Italy, responsável pela implementação em Beira.
Instituto Sindical de Cooperação para o Desenvolvimento, responsável pela implementação em Pemba.

Visite o website da AICS