O Projecto VAI!, financiado pela região Emília Romagna, visa favorecer a inclusão social e económica das pessoas com deficiências, em particular no âmbito da formação profissional e do acesso ao emprego. O Projecto, entre as varias actividades, inclui a realização da segunda fase da Pesquisa Emancipatória.

Os parceiros do projeto são:

 - AIFO - Associazione Italiana Amici di Raoul Follereau;

 - ISCOS Emilia Romagna - Istituto Sindacale per la Cooperazione allo Sviluppo;

 - FAMOD – Forum das Associações Moçambicanas das Pessoas com Deficiência;

  - ARCO - Universidade de Florência, Itália;

  - ASPHI - Fondazione ASPHI Onlus, Itália.

Durante esta segunda fase de pesquisa serão colectadas informações sobre:

 - acesso à formação profissional e ao mercado de trabalho por pessoas com deficiências (com atenção à desagregação dos dados por gênero, faixa etária e deficiência);

 - actores da sociedade civil, do sector privado, e das instituições nacionais/locais, que participam de alguma rede/projecto para apoiar os processos de inclusão social e econômica de pessoas com deficiências.

Essa segunda colecta de dados permitirá:

1) Garantir a continuidade do envolvimento de pessoas com deficiências, protagonistas do processo de pesquisa emancipatória.

2) Aumentar as habilidades analíticas de todas as instituições e organizações envolvidas directa e indirectamente na pesquisa emancipatória.

Projecto VAI!, actividades de reciclagem em Maputo

Através desta fase de Pesquisa serão colectados os dados iniciais para medir os seguintes indicadores:

 - Percentagem de jovens com deficiências nas três cidade envolvidas no projeto, que trabalham e/ou estão incluídos em programas de formação profissional;

 - Número de actores da sociedade civil, do mundo dos lucros e de instituições nacionais / locais que participam de uma rede de parcerias com várias partes interessadas para apoiar os processos de inclusão social e econômica de pessoas com deficiências.

Outra actividade de colecta de informações diz respeito à identificação das características dos jovens com deficiências, a fim de seleccionar os jovens que receberão as bolsas de estudo para participar nos cursos de formação profissional dos 3 CFP do IFPELAC envolvidos no projecto. A avaliação para I

dentificação dos beneficiários das bolsas será realizada nas comunidades pelos 60 jovens com deficiências (20 por cidade) membros das OPD do FAMOD, para promover o protagonismo das PcD e incentivar o empoderamento das e dos jovens com deficiências nas suas comunidades. 

Projecto VAI!, actividades de reciclagem em Beira

Grupo de Trabalho e Actividades Previstas

A pesquisa irá se focar em 3 regiões: Maputo (Malhazine), Beira e Pemba. Em cada região será constituido um grupo de trabalho formado por cerca de 20 pessoas com deficiência, dois tutores escolhidos entre as PcD do FAMOD, o coordenador local do projeto, o ponto focal do FAMOD para o projeto. Além disso, se possível, serão envolvidos também os pontos focais do IFPELAC e do CFP, e os funcionarios locais do INE. A reciclagem será facilitada nas 3 áreas pela equipe de projeto e pelo tutores, e será coordenada pelo pesquisador da Universidade de Florência – Itália, que terá o papel de acompanhar desde o princípio a evolução da pesquisa, de analizar os dados e de escrever o relatório para apresentar os resultados. A pesquisa irá beneficiar também do suporte das organizações parceiras do projecto que irão apoiar as atividades dos grupos de trabalho.

Foi lançado no dia 10 de Setembro de 2019, o Projecto de Prevenção e Controlo de Doenças não Transmissíveis, que está a ser desenvolvido pelo Ministério da saúde (MISAU) em parceria com a Agência Italiana de Cooperação para o Desenvolvimento (AICS), e que está a ser implementado pela CUAMM, AIFO e Comunidade Sant'Egídio, com vista a aumentar a capacidade de resposta em relação às Doenças Não Transmissíveis (DNTs), que são responsáveis por cerca de 80% de mortes à nível mundial.  O Projecto visa uma maior difusão e consciencialização sobre prevenção e controle de DNTs, nomeadamente, Hipertensão Arterial (HTA), Diabetes, Cancro de colo de útero, através da sensibilização e educação das comunidades, com maior foco nos factores de risco.

Segundo a OMS, os factores de risco são todas as características ou circunstâncias (determinantes) que acompanham um aumento de probabilidade de ocorrência de um facto indesejado, doença ou agravo a saúde.

Eis os seguintes factores de risco modificáveis comuns às DNTs: consumo do tabaco, consumo exagerado do álcool, má alimentação, inactividade física e obesidade.

Algumas das intervenções da AIFO, no âmbito deste projecto, são:

Formação de intervenientes c-omunitários apartir de formadores, Agentes Polivalentes Elementares (APEs), Comités de Saúde, Activistas e etc. Vamos trabalhar com as plataformas existentes em cada área geográfica de implementação do projecto; 

Vamos apoiar as brigadas móveis e realizar feiras de saúde para maior ligação entre a comunidade e Unidades Sanitárias;

Coordenadora do Projecto Saúde da AIFO, Odete Paúnde, falando durante o lançamento

Vamos realizar mentorias aos intervenientes comunitários do projecto, incluindo supervisões periódicas conjuntas apartir do MISAU e Direcção Provincial de Saúde (DPSs);

Vamos usar as plataformas de promoção de saúde já existentes para disseminação de Informação, Educação e Comunicação em Saúde, incluindo referências para Unidades Sanitárias, além das redes sociais como Facebook, WhatsApp, Instagram… incluindo as redes móveis existentes no pais

Com apoio dos diferentes parceiros actuando nestas áreas, pretendemos intensificar o combate aos factores de risco como: o tabagismo, a inactividade física, o consumo exagerado do álcool e a má ou não alimentação saudáveis

A saúde da mulher é uma prioridade nas nossas intervenções. Estamos empenhados na promoção do conhecimento, referências para rastreio do Cancro do Colo do útero, mesmo em casos assintomáticos para as Unidades Sanitárias cobertas pelo projecto, pois estes  casos, veem se agravando no pais. 

Não negligenciamos a Hipertensão e as Diabetes. 

Vamos facilitar o acesso a testagens pre-ventivas de Hipertensão, Diabetes e Cancro do Colo do Útero, evitando situações mais agravadas para a saúde da mulher, da família e da comunidade no seu todo.

Foi assinado no dia 17 de Setembro de 2019, o contrato para execução das obras de adaptação de acessibilidade do CFP de Malhazine, intitulado: “Contratação de Empreitada para Adaptação do Centro de Formação Profissional de Malhazine no Âmbito do Projecto PIN AID 11460”.

Este contrato foi assinado entre a AIFO e a B&B Construtora, sendo a AIFO representada pelo Sr. Domenico Liuzzi, seu representante legal e a BB Construtora representada pelo Sr. José Marcelino Banze.

Estiveram presentes durante a assinatura, o Director do IFPELAC: Dr. Anastácio Chambeze, os técnicos e funcionários do IFPELAC, bem como a Representante da AICS, Francesca Bruschi, o Presidente do FAMOD, Sr. Cantol Pondja, a equipa da AIFO, o Coordenador da ISCOS: Stefano Frasca, e o Ponto Focal do FAMOD para o Projecto PIN: Garrido Cuambe.

A B&B Construtora foi contratada através de um concurso por cotações, onde a proposta deles foi avaliadas como sendo a melhor proposta técnica e financeira, tendo sido orçada em 1.567.674,13 Mt.

A B&B Construtora está sedeada na província de Maputo, contudo, opera em todo país. É uma empresa moçambicana actuante nas áreas de construção civil, infra-estruturas, Instalações técnicas, imobiliária com cerca de 5 anos de experiências

Esta actividade insere-se no âmbito da Auditoria de Acessibilidade que foi realizada em Março do presente ano. A auditoria de acessibilidade é composta por um guia de orientação, uma lista de verificação e, finalmente, um modelo de relatório e plano de acção. Esta Auditoria de Acessibi-lidade teve como objectivo avaliar até que ponto as Instituições vocacionadas à Formação Profissional do IFPELAC, são acessíveis às pessoas com deficiências, em termos de instalações (escritórios e locais de trabalho no seu interior, bem como instalações externas) e dos seus serviços de formação profissional oferecidos ao público. 

O Director do IFPELAC, Dr. Chambeze, pediu que a construtora vencedora respeitasseo edifício do CFP de Malhazine e executasse as obras com zelo.

Âmbito da Auditoria:  A auditoria de acessibilidade deve cobrir todos os espaços das Instituições visadas, bem como na área imediata que leva a entrada, exemplo: da Estrada ao portão principal, recepção, salas de aula, oficinas, áreas comuns e áreas de lazer, casas de banho, pousadas, biblioteca, sala de computadores, refeitório e área administrativa.

Após a auditoria, foi feito um plano de acção onde foram identificadas as acções prioritárias com vista a tornar o CFP de Malhazine acessível à pessoas com deficiências. O Plano de Acção, identificou 24 áreas que necessitam de intervenção como Parque de Estacionamento, Corredores e Paredes, Chão do Edifício, Casas de Banho, Salas de Reuniões e de Aulas, Sala de Informática e outras. São nessas áreas onde a B&B Construtora, usando o caderno de encargos feito apartir do plano de acção, vai intervir.

A AIFO, ONG de Cooperação Internacional na área de Saúde, promoveu na semana passada, uma feira de saúde, no bairro de São Damanso, munícpio da Matola.  Inserido no âmbito da implementação do Projecto Saúde na prevenção as doenças não transmissíveis (diabete, Hipertensão e cancro), em Maputo, Sofala e Zambézia.

As doenças não transmissíveis (DNTs) em Moçambique, constituem um problema grave de saúde pública. Sendo responsáveis por cerca de 27% de todas mortes e por volta de  60% de todas as causas de incapacidade que ocorrem no país e um pouco por todos os países em vias de desenvolvimento.

A Doença Cardiovascular (DCV) é a causa mais importante de morbilidade e mortalidade, tendo como principal factor de risco a Hipertensão Arterial (HTA). A prevalência da HTA é estimada em cerca de 35% a nível nacional, sendo maior nas cidades (40,6%) que na zona rural (29,8%), aumentando com a idade. A diabetes é também uma das maiores causas de doença e morte prematura, sendo responsável pelo aumento do risco para as DCV.

Para a AIFO, a feira de saúde, surge no contrxto das celebrações do Novembro Azul, e dia 14 de Novembro, dia consragrado internacionalmente para celebrar a luta contra a diabete, e   tinha por objectivo mobilizar e sensibilizar a população sobre os factores de risco por forma a evitarem a diabete, adptando cmportamento e alimentação.

Na mesma senda, a administradora da Matola, Anastância Quintana, destacou o papel das famílias na prevenção de DNTs através da prática de exercícios físicos e da alimentação saúdavel.

Exórtamos a todos e todas a adpotarem um estilo de vida saudável, evitando consumir açúcares, gorduras, fritos, àlcool, não fumar e criar hábitos de praticar actividades físicas; como também fazer diagnóstico precoce, para ter o tratamento adequado, o que contribui para a redução do número de mortes causado por diabetes.